Saiba se a sua bicicleta é adequada para você

Pedalar é uma atividade que agrada a pessoas com idade, estilo de vida e desejos diferentes. Cada uma delas, porém, possui corpo com medidas próprias, que se adapta melhor a uma bicicleta de tamanho e geometria adequada. Apesar de passar desapercebido pela maioria dalguns detalhes são fundamentais na adequação entre ciclistas e suas bikes. Mesmo bicicletas com tamanho de quadro e aro semelhantes podem possuir componentes distintos que mudam totalmente o funcionamento e consequentemente o conforto para o usuário. A extensão de determinadas peças como o canote do selim e a mesa, ajudam a definir o desempenho e o bem-estar de quem pedala. E já que se sentir bem durante a pedalada é essencial para que andar de bicicleta se torne um hábito cada vez frequente, vale a pena ter atenção especial a partes da bicicleta que nem sempre são debatidas durante a sua escolha.

Moradora de Olinda, Kelly Saura mede 1,52m e teve dificuldade para encontrar uma bicicleta apropriada. "Há mais ou menos um ano comecei a procurar e não tinha tanta opção de bicicleta assim. Então eu comecei a pesquisar na internet e aproveitei uma viagem ao Rio de Janeiro para comprar uma que fosse boa pra mim". Kelly escolheu um modelo dobrável, que pesa cerca de 10kg. Ela explica que comprar durante a viagem acabou sendo mas vantajoso financeiramente do que encomendar pela internet. Após escolher uma bicicleta mais confortável para sua estatura, passou a pedalar para o trabalho todos os dias – rotina que só foi modificada com o período de chuvas fortes. "Muitos amigos meus têm bicicleta e eu de vez em quando tentava andar na deles. Sempre achava grande e não me sentia muito firme pedalando. Agora é bem melhor".

Não é difícil perceber que o tipo de bicicleta preferido pelos ciclistas muda de acordo com a prática desejada. Quem pedala a passeio busca uma posição corporal mais confortável e ereta, enquanto os ciclistas que buscam velocidade costumam ter uma postura considerada mais "firme", com corpo projetado em direção ao guidom. André dos Santos Costa, professor do Departamento de Educação Física (DEF) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), explica que quem está começando a pedalar deve sempre priorizar o próprio conforto. "Tem muita gente que acaba desistindo de pedalar por causa dessa dificuldade. Muitas pessoas reclamam de banco desconfortável, de selim que machuca. É preciso prestar atenção no tipo de bicicleta que se quer, se é pra uso urbano, trilhas, uso profissional, e então buscar uma bicicleta boa para isso".

Segundo ele, escolher a bicicleta numa boa loja evita preocupações futuras. Caso o ciclista queira a fórmula da "bicicleta perfeita", especialistas em fisioterapia e educação podem ser procurados, desde que estejam familiarizados com a temática. Antes disso, porém, uma boa observação na sintonia do próprio corpo com a bicicleta pode denunciar possíveis problemas. "Para um indivíduo que não é profissional, existem fatores importantes e simples de serem observados. A facilidade para entrar e descer da bicicleta, por exemplo. Você sabe que o tamanho não está correto quando há essa dificuldade", descreve o professor. Além de desconfortável, complicações na hora de subir e descer da bicicleta podem ser um risco a segurança do ciclista. O design é grande aliado nessa hora: quadros mais baixos e com curvas são preferidos por pessoas de menor estatura e por quem deseja utilizar vestidos e saias em seus trajetos.

O professor André Costa explica que é comum identificar erros de postura nos ciclistas. "No Recife, observando o público que está utilizando as bicicletas de aluguel, dá pra perceber que muitos pedalam numa posição incorreta pra o próprio corpo. Há quem esteja com o selim na altura errada, por exemplo. Quando a altura está inapropriada dá pra ver que a perna do ciclista fica dobrada ou esticada demais, o que pode causar dores nos joelhos". A altura inadequada do selim pode propulsionar o corpo do ciclista para frente e criar peso excessivo para as mãos, gerando dores no pulso. O ajuste correto entre a altura e distância do selim e do guidom evita também problemas na coluna lombar, o que diminui a chance de dores nas costas decorrentes da pedalada.

A ajuda de especialistas da área de ciclismo e saúde é essencial para determinar as medidas mais adequadas. Apesar disso, estudos desenvolvidos sobre o tema chegaram a fórmulas que podem ajudar o ciclista a encontrar medidas próximas às ideais, que servem de referência na hora de alterar ou escolher a bike. Baseado no método difundido pelo ciclista Greg LeMond, três vezes campeão da famosa Tour de France, o canal BikePE do Pernambuco.com disponibiliza calculadora de BikeFit que ajuda você a se aproximar da bicicleta ideal.

Fonte: diario de pernambuco

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s