Voluntários ensinam a andar de bicicleta em Fortaleza

Grupo dá aulas e orientações gratuitas em praça no Bairro Aldeota. Bike Anjos se reúnem nas manhãs dos domingos.

Um grupo se reúne há oito meses em uma praça de Fortaleza para ensinar quem quiser dar as primeiras pedaladas. Os "bike anjos" são voluntários e ainda cedem as bicicletas para aulas que são realizadas durante a manhã do segundo domingo de cada mês. "Como uso bicicleta, ando de capacete, sempre fui muito questionado como era ter a bike como meio de transporte. Sempre ouvia: ‘Queria, mas não sei pedalar’. Então, resolvi começar um mutirão", conta o analista de informática, Lucas Landim.

Neste domingo (22), Dia Mundial Sem Carro, o grupo vai se reunir excepcionalmente. O projeto existe em outras cidades brasileiras. Em Fortaleza, em parceria com o grupo Massa Crítica, cerca de dez pessoas ajudam os novatos nas pedaladas, mas também dão orientações sobre tipos e manutenção de bicicletas, legislação e comportamento no trânsito. Segundo o organizador, depois de duas horas, a maioria das pessoas consegue sair pedalando ao redor da praça. A procura, segundo Lucas, tem sido grande. Cerca de dez pessoas por encontro. "A gente fica muito feliz porque mostra que existe outra alternativa. Tem gente que mora a quatro quadras do trabalho evai de carro. O projeto ajuda a abrir a cabeça".

Para aprender a andar de bicicleta, não tem idade mínima nem máxima. "Além de ajudar mais pessoas a terem a bicicleta como meio de transporte, nós também ajudamos muito gente a realizar sonhos", afirma Landim. O analista de informática lembra que a aluna mais velha, até agora, foi uma senhora de 82 anos. "Depois da aula, ela me deu abraço e disse que tinha dois desejos para realizar. Um era dançar a noite inteira e o outro era aprender a andar de bicicleta. E disse que o mais difícil dos dois já tinha conseguido. É muito gratificante", afirma.

Os bike anjos também acompanham os iniciantes a enfrentar pela primeira vez o trânsito de Fortaleza com a bicicleta. Um deles faz o todo o percurso com a pessoa até o trabalho ou a escola. Os voluntários se dividem em zonas e cada um recebe a solicitação de acordo com a área que conhece para pedalar. Os interessados devem fazer um cadastro e enviar o pedido no site da Escola Bike Anjos.

Experiência

Lucas Landim utiliza a bicicleta como meio de transporte há dois anos. Antes, ele utilizava o ônibus, mas sempre demorava muito para chegar ou se atrasava nos compromissos. Depois de alguns atrasos, também tentou fazer o percurso de um trabalho para outro a pé. O tempo diminiu de uma hora e meia de ônibus para 50 minutos. "Até que recebi uns amigos e alugamos bicicletas para irmos para a praia e percebi que poderia fazer isso todo dia", lembra.

oje,o bikeano veterano vê que a falta de educação no trânsito como os principais problemas para andar de bicicleta. "A ordem é inversa. O Código de Trânsito diz que os mais fragéis são prioridades,  mas na realidade tem prioridade o mais forte. A gente não é educado para conviver no trânsito. Os bicicleteiros não se sentem incluído no sistema de trânsito". Mesmo com algumas ciclovias no caminho, Lucas também observa que a maioria não tem um infraestrutura boa para o uso. "Se a infraestrutura é ruim, com trechos difíceis de atravessar, o ciclistanão vai usar. O fato de existir a ciclovia e existir ruim é mais prejudicial do que benéfica".

Encontro Bike Anjos
Segundo domingo do mês, a partir das 8 h, na Praça da Luíza Távora (esquina da Av. Santos Dumont com a Rua Monsenhor Bruno). Mais informações no site www.bikeanjo.com.br

Fonte: g1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s